Dia 28 de julho é comemorado o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais
26/07/2018 - 10h08 em Notícias de Guarani das Missões

A Organização Mundial de Saúde (OMS) instituiu 28 de julho como Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, a partir de iniciativa e propostas brasileiras, em maio de 2012. Desde então, o Ministério da Saúde do Brasil cumpre uma séries de metas e ações de prevenção e controle para o combate à doença através de seu Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais da Secretaria de Vigilância em Saúde.

A celebração da data tem como objetivo atrair atenção para o tema e incentivar o diálogo, principalmente no campo da saúde pública. A criação de novas políticas públicas e a eficiência das que já existem garante acesso universal ao tratamento e prevenção dessas doenças.

A vacina contra o tipo B está disponível na rede pública e sua imunização ocorre em três doses. A segunda dose deve ser tomada um mês após a primeira dose e a última, seis meses depois da primeira. A faixa de imunização atinge homens e mulheres até 49 anos. Na rede privada, pode-se tomar a vacina combinada contra as hepatites A e B.

Os sintomas da hepatite são febre, mal-estar, falta de apetite, dor muscular, dor de cabeça, náuseas e falta de força nos músculos. O diagnóstico pode ser dado por meio de exames de sangue, biópsia do fígado, ou sorologias. Caso haja suspeitas, evite bebidas alcoólicas e procure urgentemente um médico.

A prevenção está em lavar bem os alimentos e aumentar os cuidados na prevenção sexual e no consumo de bebida alcóolica. Existem vacinas que protegem o corpo de alguns tipos de doença, mas apenas para a de tipo B está disponível na rede pública. A primeira dose é dada ao nascer e repetida aos 2 e 6 anos.

Caso esteja infectado, o indivíduo passa por um tratamento é feito por meio de medicamentos e injeção subcutânea dada uma vez por semana. O tratamento varia por cada tipo e pode chegar a 2 anos.

 

COMENTÁRIOS