Descarte da erva-mate em hortaliças pode afetar o crescimento das plantas
22/12/2016 - 16h42 em Entretenimento

Um estudo realizado na UFFS – Campus Cerro Largo apontou para a diminuição da velocidade de germinação de quatro hortaliças testadas: salsa, tomate, alface e cebolinha. A pesquisa fez parte do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) da estudante de Agronomia do Campus, Marcia Frank e concluiu que, no decorrer do crescimento e desenvolvimento das espécies utilizadas, houve diferentes respostas - quando em contato com a erva-mate (ilex paraguariensis) - sobre a velocidade de germinação, número de sementes germinadas e sobre o tamanho da plântula (que é composta do sistema radicular e da parte aérea, somente após a formação das folhas e o início da fotossíntese, que ela passa a ser planta). 

 

A estudante utilizou 3 porcentagens de erva-mate adicionado à água: 10%, 5% e 1%, e quatro repetições de 25 sementes de cada cultura. Além disso, utilizou testemunhas, que são as sementes sem a interferência da erva-mate. Os experimentos foram realizados no Laboratório de Sementes do Campus nos meses de setembro e outubro de 2016. A velocidade de germinação, em sementes sob o extrato a 10%, foi de 58% menor na alface e 62% menor na cebolinha do que na semente em condições normais. Já na salsa, também sob o extrato a 10%, o crescimento foi de 94% menor e no tomate 98% menor, sendo o mais sensível ao extrato de erva-mate. O tomate, além de germinar com menos velocidade, obteve um número expressivamente menor de plântulas germinadas ao final do experimento, apenas 4% comparado à testemunha. 

 

Ainda existem poucos estudos na área e Marcia acredita que isso contribui para que as pessoas continuem a fazer o descarte de maneira incorreta. Ela informa que a melhor maneira de fazer o descarte é por meio de compostagem, para depois servir como adubo. “É importante esse tipo de estudo principalmente para aquelas pessoas que descartam a erva-mate usada no chimarrão diretamente sobre o solo, sem passar por um processo de compostagem. Também o conhecimento dos efeitos alelopáticos das plantas é importante para se entender as interações entre elas e o meio ambiente”, relata a formanda.

 

A alelopatia é um fenômeno de ocorrência natural, resultante da liberação de substâncias capazes de estimular ou inibir o desenvolvimento de outras plantas e organismos. O trabalho intitula-se “Efeito de extrato bruto aquoso de erva-mate sobre sementes olerícolas”.

 

 

Curta e acompanhe a nossa página no facebook.

 

COMENTÁRIOS