RGE estima economia de 0,40% no horário de verão
06/10/2016 - 14h21 em Tecnologia

 

O horário de verão 2016/2017 deve proporcionar uma redução de 0,40% no consumo de energia nos 255 municípios que compõem a área de concessão da RGE. Em volume, a economia prevista é de 16,536 mil MWh, suficiente para atender a demanda de uma cidade do porte de Caxias do Sul por 4 dias.

 

Com a entrada em vigência do horário de verão, os relógios devem ser adiantados em uma hora em dez estados nas regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e no Distrito Federal. O horário de verão terá duração de 126 dias, com o término à zero hora do dia 19 de fevereiro de 2017.

 

O principal objetivo da medida é melhorar o aproveitamento da luz natural. Ao se deslocar o horário oficial em uma hora, dilui-se por um período maior o momento de entrada em funcionamento desses equipamentos. No período do horário de verão, as cargas das residências e de iluminação pública passam a subir após as 19h, quando o consumo industrial começa a cair. Dessa forma, o ganho, além da economia, está em afastar os riscos de sobrecarga no momento que o sistema atinge o seu pico de carga coincidente.

 

No caso da RGE, a previsão é de que haja uma redução de 4,1% na demanda de energia durante o horário de pico. A economia de 16,536 mil MWh também suficiente para atender uma cidade do porte de Passo Fundo por 11 dias.

COMENTÁRIOS